Huíla reinicia exploração de ouro 30 anos depois

A exploração de ouro no município do Chipindo, província da Huíla, é retomada em Janeiro de 2019, depois de uma interrupção de mais de 30 anos devido a diversos factores, anunciaram recentemente à imprensa as autoridades locais. Os trabalhos de prospecção foram concluídos em 2017 e desde então decorrem estudos de viabilidade económica para o início do programa de exploração da pedra preciosa.

Consta que a Demang-SA, empresa concessionária já cumpriu com todas as formalidades legais que a habilitam a arrancar com a empreitada, aguardada com grande expectativa pela comunidade local, sobretudo os jovens ansiosos em encontrar o primeiro emprego.

O director-geral da Demang-SA, João Nunes, revelou à imprensa que os trabalhos de prospecção incidiram numa área de 67 mil hectares, correspondentes a 674 quilómetros quadrados. Frisa ainda que a empresa fez um investimento de aproximadamente cinco milhões de dólares USD na compra de equipamentos, a partir da África do Sul, que estão a ser montados no local.

Numa primeira fase, adianta João Nunes, o projecto contará apenas com uma linha de produção, com capacidade para explorar entre 100 a 150 gramas de ouro/hora, resultados só possíveis de alcançar com tecnologia de ponta, como ressalta. A província da Huíla é tradicionalmente rica em diferentes minerais e pedras naturais, entre granito, cobre e mármore, ferro e ouro.

As autoridades angolanas perspectivam um melhor aproveitamento das potencialidades mineiras da província da Huíla com a exploração do ferro, ouro e do granito negro.

O início da produção de ouro na província da Huíla, sem sombras de dúvidas, marca o ponto de partida para relançar a exploração do seu vasto potencial geológico e mineral, que é praticamente limitado à extracção de rochas ornamentais e de água mineral.

Dados do Plano Nacional de Geologia (PLANAGEO) indicam que a Huíla detém um potencial integrado por ferro, cobre, manganês, potássio, diamante, cobre, zircão, manganés e magnésio, quartzo e ametista, entre outros minérios.

Fonte: Mercado