Cobre opera em baixa com possível aumento de oferta na Índia e de olho no Fed

Os preços de cobre operam em baixa nesta segunda-feira, em meio a um quadro mais amplo de mercados no vermelho, também à medida que uma usina na Índia parecia prestes a reabrir, eliminando uma ruptura de suprimento e aumentando a oferta. Às 9h06 (de Brasília), na London Metal Exchange (LME), a tonelada do metal tinha queda de 0,40%, a US$ 6.113,00. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), a libra-peso do cobre para março perdia 0,71%, a US$ 2,7430. Em todos os diferentes mercados, agentes estarão atentos à decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) e à entrevista coletiva do seu presidente, Jerome Powell.

Se adotar um tom hawkish, mais propenso a um ritmo mais rigoroso de aumentos da taxa de juros, o banqueiro central pode estender os ganhos do dólar sobre rivais e emergentes, adicionando pressão a metais industriais. Como são cotados na moeda americana, ficariam mais caros para detentores de outras divisas.

Outra fonte de força baixista sobre os preços do cobre são as preocupações com um incremento da oferta, de acordo com uma nota da Marex Spectron referindo-se a como a mineradora Vedanta Resources poderia reiniciar uma operação de 400 mil toneladas por ano no Estado indiano de Tamil Nadu. Entre outros metais negociados na LME, a tonelada do alumínio perdia 0,16%, a US$ 1.922,50, a do zinco subia 0,14%, a US$ 2.536,00, a do estanho ganhava 0,03%, a US$ 19.395,00, a do níquel tinha alta de 0,14%, a US$ 11.055,00, e a do chumbo descia 1,18%, a US$ 1.931,00.

Fonte: Isto É