Prêmio reconhece melhores práticas em arranjos produtivos de base mineral

Será realizada nesta sexta-feira (7) a cerimônia de entrega do Prêmio Melhores Práticas em APL de Base Mineral 2018, uma iniciativa do Comitê Temático Rede Brasileira de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral (CT Rede APL Mineral), da qual o MCTIC participa, para identificar e reconhecer a importância da utilização de métodos e processos inovadores no âmbito da cadeia produtiva do setor mineral. O evento será realizado no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, em Natal (RN).

“É importante estimularmos a inovação no setor mineral, considerando que se trata de um segmento crucial para o desenvolvimento do país. A ele devemos a existência dos metais, combustíveis, plásticos, equipamentos elétricos e eletrônicos, computadores, cosméticos, enfim, tantos produtos que muitas vezes sequer imaginamos, mas que têm origem na atividade da mineração”, afirma o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Maximiliano Martinhão.

Realizado desde 2011, o Prêmio Melhores Práticas em APL de Base Mineral 2018 busca valorizar atores da mineração de pequeno e médio porte, sob a forma de APLs, que tiveram êxito na realização de métodos e técnicas que envolvam procedimentos gerenciais e tecnológicos. As temáticas abordadas são: mineração, formalização, organização da produção – cooperativismo/ associativismo/ cooperação laboratorial/ economia solidária, transferência e disseminação de tecnologia e inovação, treinamento/capacitação, inclusão social, gestão e governança, meio ambiente e saúde, segurança e higiene do trabalho.

APLs

Arranjos produtivos locais são aglomerações territoriais de agentes econômicos, políticos e sociais, com foco em um conjunto específico de atividades econômicas, que apresentam vínculos, mesmo que incipientes. Geralmente envolvem a participação e a interação de empresas, que podem ser desde produtoras de bens e serviços finais até fornecedoras de insumos e equipamentos, prestadoras de consultoria e serviços, comercializadoras, clientes, entre outros – e suas variadas formas de representação e associação.

Incluem também diversas outras organizações públicas e privadas voltadas para a formação e capacitação de recursos humanos, como escolas técnicas e universidades; pesquisa, desenvolvimento e engenharia; política, promoção e financiamento.

Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral, por sua vez, são conjuntos de empreendimentos e de indivíduos, localizados em um mesmo território, que atuam em torno de uma cadeia produtiva que tenha como base a atividade extrativa e de transformação mineral.

Fonte: MCTIC