Cobre opera em baixa, com liquidez reduzida no fim do mês e de olho no G-20

Por volta das 10h10 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) recuava 0,44%, a US$ 6,178,00 por tonelada, sugerindo que terminará a semana com alta de apenas 0,2%. Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em março tinha baixa de 0,13%, a US$ 2,7860 por libra-peso, às 10h50 (de Brasília).

A liquidez nos mercados de metais está reduzida hoje, à medida que operadores procuram fechar suas posições no encerramento de novembro e à espera de desdobramentos da cúpula do G-20 na Argentina. A maior expectativa é para a reunião dos presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e China, Xi Jinping. Trump e Xi vão discutir suas divergências comerciais – que este ano levaram EUA e China a impor tarifas a bilhões de dólares em produtos um do outro – durante jantar neste sábado (01), em Buenos Aires.

Entre outros metais básicos na LME, no entanto, os ganhos eram generalizados. No horário indicado acima, o alumínio subia 0,16%, a US$ 1.936,50 por tonelada, o zinco avançava 0,96%, a US$ 2.484,00 por tonelada, o estanho aumentava 0,24%, a US$ 18.555,00 por tonelada, o níquel ganhava 0,59%, a US$ 11.075,00 por tonelada, e o chumbo tinha alta mais expressiva, de 1,68%, a US$ 1.963,50 por tonelada.

Fonte: Dow Jones Newswires