Cobre opera em alta, com investidores mais dispostos a riscos

O cobre opera em alta nesta quarta-feira, acompanhando os mercados de ações em alta, com investidores mostrando maior apetite para risco. Por volta das 9h25 (de Brasília), na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha alta de 0,67%, a US$ 2,7845 por libra-peso. Os metais industriais nesta quarta-feira foram impulsionados pela maior calma do mercado, assim como pela aparente “apatia geral” dos investidores em relação aos metais, afirma Alastair Munro, corretor da Marex Spectron em nota.

Por volta das 9h25 (de Brasília), na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha alta de 0,67%, a US$ 2,7845 por libra-peso. Os metais industriais nesta quarta-feira foram impulsionados pela maior calma do mercado, assim como pela aparente “apatia geral” dos investidores em relação aos metais, afirma Alastair Munro, corretor da Marex Spectron em nota.

Os volumes de negociação ficaram mais baixos do que o normal nas últimas semanas, com os investidores focados na volatilidade do mercado de ações, e os analistas esperavam que o comércio de metais desacelerasse ainda mais antes do feriado de Ação de Graças americano, nesta quinta-feira. A partir da próxima semana, no entanto, os participantes do mercado estarão cada vez mais atentos ao possível encontro entre o presidente americano, Donald Trump, e o presidente da China, Xi Jinping, na cúpula do G-20 em Buenos Aires, no final de novembro.

Autoridades norte-americanas e chinesas fizeram declarações otimistas nas últimas semanas sobre um possível acordo comercial. As tensões atenuantes permitiram que os metais recuperassem parte de suas perdas até agora este ano, já que as escaramuças comerciais enfraqueceram as previsões de demanda, avalia Harry Tchilinguirian, diretor global de estratégia de mercados de commodities do BNP Paribas.

No entanto, um relatório divulgado pelo representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, no qual ele acusou Pequim de não mudar as políticas econômicas que ameaçam a indústria americana, como o ciberespaço e a espionagem, destacou que as duas maiores economias do mundo ainda estão longe de um acordo.

Entre os metais básicos, o alumínio subia 0,64%, para US$ 1,954 por tonelada métrica, o estanho avançava 0,44%, para US$ 19,455 a tonelada métrica, o níquel ganhava 0,41%, para US$ 11,130 a tonelada, e o chumbo subia 0,71% para US$ 1,973 a tonelada métrica.

Fonte: Isto É