BHP devolve US $ 10,4 bilhões da receita de venda de ativos dos EUA para acionistas

A mineradora major BHP completou a venda de seus ativos de petróleo e gás nos Estados Unidos, Eagle Ford, Haynesville e Permian, por US $ 10,5 bilhões e anunciou na quinta-feira que devolverá US $ 10,4 bilhões aos acionistas.A BHP anunciou em julho deste ano a venda de seus ativos de petróleo e gás onshore dos EUA por US $ 10,5 bilhões, com a BP American Production Company, uma subsidiária da British Petroleum, adquirindo todo o capital acionário da Petrohawk Energy Corporation. , que detém os ativos Eagle Ford, Haynesville e Permian.

A Merit Energy Company adquiriu a participação da BHP na BHP Billiton Petroleum (Arkansas) e sua participação na BHP Billiton Petroleum (Fayettteville), que detém os ativos da Fayetteville. A transação de Mérito foi concluída no início de outubro. A BHP informou na quinta-feira que a BP pagou metade da contraprestação bruta, com o saldo a pagar em seis parcelas iguais ao longo de um período de seis meses. A primeira parcela é devida um mês após a conclusão da transação.

As receitas líquidas da venda dos ativos da empresa Onshore nos EUA devem ser de US $ 10,4 bilhões, com o gigante diversificado dizendo que essas receitas seriam devolvidas aos acionistas.  O programa de retorno aos acionistas seria iniciado imediatamente, com a BHP visando uma recompra de US $ 5,2 bilhões em ações da BHP, com a qual a empresa poderia comprar ações com um desconto de até 14%. O saldo das receitas da venda de ativos onshore dos EUA seria pago na forma de um dividendo especial, que seria determinado após a conclusão da recompra off-market, e que seria pagável em janeiro.

A BHP ganhou quase 3% no ASX na quinta-feira. “De acordo com nossa estrutura de alocação de capital, a diretoria analisou cuidadosamente a melhor forma de devolver os recursos líquidos aos nossos acionistas”, disse o presidente da BHP, Ken MacKenzie. “Acreditamos que o programa de recompra de ações e dividendos especiais fora do mercado devolverá um valor significativo a todos os nossos acionistas, permitindo que toda a base global de acionistas da BHP participe, direta e indiretamente, do programa de retorno aos acionistas.”

Enquanto isso, a Moody’s elevou o rating de longo prazo da BHP de A3 para A2, e seus ratings de curto prazo para papéis comerciais de P2 para P1. (Fonte).

Fonte: O Petroleo