Cobre opera de lado, mas dólar forte pressiona

O cobre opera perto da estabilidade, nesta segunda-feira, em um dia de feriado nos Estados Unidos, com o mercado de Treasuries fechado e provavelmente menores volumes em negociação em outros ativos. No câmbio, o dólar em geral mais forte tende a pressionar o contrato, já que com isso o metal fica mais caro para os detentores de outras divisas.

 

Às 9h (de Brasília), o cobre para três meses subia 0,24%, a US$ 6.195 a tonelada, na London Metal Exchange (LME), e às 9h08 o cobre para dezembro caía 0,11%, a US$ 2,7600 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

 

A fraqueza do contrato do alumínio pressionava os metais básicos em geral. Na semana passada, o alumínio teve fortes ganhos, diante da notícia de que a norueguesa Norsk Hydro planeja interromper completamente as operações na refinaria Alunorte, no Brasil, uma das maiores do mundo. O alumínio tinha queda de 1,26%, a US$ 2.079 a tonelada.

 

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco caía 0,55%, a US$ 2.606,50 a tonelada, o estanho subia 0,13%, a US$ 18.995,00 a tonelada, o níquel recuava 1,07%, a US$ 12.925,00 a tonelada, e o chumbo subia 0,05%, a US$ 2.071,59 a tonelada.

Fonte: Dow Jones Newswires