Cobre opera em alta, apoiado por temores de queda na oferta

O cobre opera em território positivo nesta quarta-feira, apoiado pela redução nos estoques monitorados pela London Metal Exchange (LME), que chegaram ao menor patamar neste ano. Às 8h05 (de Brasília), o cobre para três meses subia 0,69%, a US$ 6.296,50 a tonelada, na LME.

Às 8h22, o cobre para dezembro avançava 0,20%, a US$ 2,8120 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Investidores têm gradualmente se voltado para fatores específicos do metal usado na indústria. Segundo o ING, sinais positivos do mercado à vista continuam a apoiar os preços.

O alumínio, por sua vez, avançava com mais força em Londres, apoiado pela notícia de que a Norsk Hydro anunciou planos de paralisar produção em uma fábrica de alumina no Brasil. A fábrica já operava com 50% de sua capacidade, mas o fechamento significa a perda de mais 3 milhões de toneladas na produção anual para o mercado global de alumínio.

Com o feriado na China, há volumes menores em negociação nos mercados. Investidores monitoram ainda a política na Europa e sinalizações do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), em dia de discurso de vários dirigentes.

Entre outros metais básicos, o alumínio subia 3%, a US$ 2.174 a tonelada, o zinco caía 0,23%, a US$ 2.651,50 a tonelada, o estanho caía 0,29%, a US$ 18.930 a tonelada, o níquel cedia 0,20%, a US$ 12.510 a tonelada, e o chumbo avançava 0,56%, a US$ 2.055 a tonelada.

Fonte: Dow Jones Newswires