Como funciona o ‘testador de diamante’ usado na apreensão de bens de vice-presidente da Guiné

A apreensão milionária de US$ 16 milhões em dinheiro e relógios com diamantes na comitiva do vice-presidente da Guiné Equatorial, no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), gerou problemas diplomáticos entre os dois países, além de dúvidas sobre leis internacionais e como é feita a fiscalização de bens que contêm pedras preciosas.

O G1 e a EPTV, afiliada da TV Globo, tiveram acesso à Receita Federal para mostrar como funciona o testador de diamantes usado naquele dia para verificar a autenticidade do mineral. Teodoro Obiang Mang é filho do ditador Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, que está no poder há 38 anos. A comitiva do vice-presidente chegou ao Brasil na noite de 14 de setembro e, após 4 horas de negociação, teve as bagagens revistadas pela alfândega em Campinas (SP).

Por conta do caso estar em sigilo fiscal e diplomático, ninguém na Receita Federal de Viracopos foi liberado para dar entrevista, mas o G1 e a EPTV foram autorizados a mexer no aparelho.

O testador comprova se aquela pedra é ou não um diamante. A funcionalidade dele é bem simples: a partir do momento que a ponta do equipamento encosta em um mineral, o barulho que ela faz vai responder se é um diamante ou outra pedra preciosa.

Por conta do caso estar em sigilo fiscal e diplomático, ninguém na Receita Federal de Viracopos foi liberado para dar entrevista, mas o G1 e a EPTV foram autorizados a mexer no aparelho.

O testador comprova se aquela pedra é ou não um diamante. A funcionalidade dele é bem simples: a partir do momento que a ponta do equipamento encosta em um mineral, o barulho que ela faz vai responder se é um diamante ou outra pedra preciosa.

Fonte: G1