Grupo ArcelorMittal vai investir US$ 330 milhões em expansão no Brasil

O grupo ArcelorMittal, maior produtor mundial de aço, decidiu tirar da gaveta um projeto de expansão em suas instalações de São Francisco do Sul (SC). O investimento, que foi atualizado em valor para US$ 330 milhões e tecnologicamente, havia sido suspenso em abril de 2014, em razão do início da crise econômica do país e da forte retração da indústria automotiva.

A unidade de laminação de São Francisco do Sul é especializada na laminação de chapas de aço a frio e galvanizadas. O material (bobinas laminadas a quente) é produzido na siderúrgica em Serra (ES) e enviado por barcaças até o município catarinense. A expansão vai fortalecer a atuação da ArcelorMittal em aços de maior valor agregado nos setores automotivo, construção civil e de linha branca. De acordo com Benjamin Baptista Filho, presidente da ArcelorMittal Brasil, vai sustentar a estratégia de crescimento do grupo no Brasil e na América Latina.

Segundo o executivo, o sinal verde para tocar o projeto em frente foi dado no início de julho, em Londres, pelo presidente mundial do grupo Lakshmi Mittal e Aditya Mittal, vice-presidente de finanças. O início da produção adicional na linha de aço galvanizado está previsto para 2021, com pouco menos de 30 meses de obras de montagem. A terceira linha terá capacidade de beneficiar 500 mil toneladas por ano, que serão revestidas com material contra corrosão.

A decisão da retomada, disse Baptista Filho, se deve à retomada da indústria automotiva e as perspectivas de recuperação da economia do país a partir de 2019. As vendas de automóveis no país — que tiveram forte desaquecimento nos últimos anos — voltara a subir no ano passado. Ao mesmo tempo, as montadoras elevaram suas exportações aos países vizinhos, especialmente Argentina e México.

Atualmente, a unidade catarinense, inaugurada no início dos anos 2000, tem duas linhas de produção — uma dedicada ao setor automotivo e outra para linha branca e construção civil. Juntas, elas contam com capacidade anual de 950 mil toneladas. Além disso, a empresa faz mais 500 mil toneladas de aço laminado a frio, que são vendidas para diversas aplicações industriais.

Com a expansão, a ArcelorMittal terá no Brasil um portfólio de aços laminados de 4, 2 milhões de toneladas. Desse volume, 1,45 milhão de toneladas serão produtos galvanizados, 700 mil de laminado a frio e 2,2 milhões de toneladas de bobinas a quente, produzidas na usina de Serra. Os principais concorrentes da empresa em aço revestido para esses mercados são a Usiminas e a Companhia Siderúrgica Nacional (CS). A demanda interna também é abastecida com produto importado, principalmente da China e Coreia do Sul.

Fonte: Valor