Cobre opera em alta, apoiado por planos de estímulo da China

O cobre opera com ganhos na manhã de hoje, um dia após a China aprovar novas medidas fiscais para impulsionar sua economia. Ao mesmo tempo, o dólar mais fraco ante moedas fortes contribui para o movimento. Às 7h25 (de Brasília), o cobre para três meses subia 0,70%, a US$ 6.171,50 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). Às 7h34, o cobre para setembro tinha alta de 0,82%, a US$ 2,7690 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Analista da corretora Marex Spectron, Alastair Munro afirma que os metais são apoiados pela força mostrada mais cedo pelas ações chinesas, em particular no setor industrial. Munro lembra que ontem o gabinete chinês, o Conselho Estatal, aprovou novas medidas para apoiar o crescimento e diz que esses sinais de relaxamento apoiaram ações do setor de construção.

O dólar, por sua vez, recua ante moedas fortes nesta manhã. Nesse caso, o cobre, cotado na moeda americana, fica mais barato para os detentores de outras divisas, o que impulsiona a demanda.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco subia 1,94%, a US$ 2.604,00 a tonelada, o alumínio ganhava 0,83%, a US$ 2.086,50 a tonelada, o estanho tinha alta de 0,41%, a US$ 19.590,00 a tonelada, o níquel subia 1,08%, a US$ 13.515,00 a tonelada, e o chumbo avançava 0,54%, a US$ 2.140,00 a tonelada.

Fonte: Dow Jones Newswires