Ministro defende aumento da produção

O ministro de Recursos Minerais e Petróleos defendeu, ontem, em Saurimo, o aumento da produção das diamantíferas que operam em concessões locais, a fim de garantir  o impulso necessário ao desenvolvimento da província.

Diamantino de Azevedo declarou momentos depois de desembarcar no Aeroporto Deolinda Rodrigues  que a deslocação resultou de uma concertação com o governador da Lunda-Sul, Ernesto Kiteculo, para avaliar o quadro do sector geológico mineiro e analisar, com a Endiama, o estado operacional de projectos em actividade ou em vias de arrancar.
“Queremos implementar as orientações inscritas no Plano de Desenvolvimento Nacional para o sector diamantífero para os próximos quatro anos”, referiu Diamantino de Azevedo, que sublinhou a necessidade de incremento da produção para aumentar receitas, apesar do trabalho no sector acarretar um “nível de exigência alto”. O papel do sector dos Re-cursos Minerais e Petróleos no desenvolvimento da Lunda-Sul passa pelo surgimento de iniciativas que apoiem o sector diamantífero, afirmou o ministro que ontem mesmo visitou um laboratório de mineralogia edificado no bairro Terra Nova, nas imediações da cidade de Saurimo.
Números avançados pelo presidente do conselho de administração  da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), Ganga Júnior, durante o Conselho Consultivo do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos, realizado na semana passada, em Luanda, apontam para uma previsão da produção de diamantes de 9,3 milhões de quilates por um valor de até 1.300 milhões de dólares (cerca de 331 mil milhões de kwanzas).
A Sociedade Mineira de Catoca, implantada nos arredores de Saurimo com capitais maioritários da Endiama e da russa Alrosa, representa 75 por cento do total da produção diamantífera angolana.

Fonte: Jornal de Angola