Especialista explica como funciona a “mineração urbana” para recuperar ouro em smartphones

Como sabemos, o mercado de tecnologia costuma avançar em ritmo frenético com muitas inovações sendo introduzidas a cada ano. Na mesma medida, isso acaba fazendo com que mais pessoas joguem fora seus aparelhos antigos em busca de comprar a “última novidade”. Por conta disso, estamos presenciando um aumento constante na produção de lixo eletrônico na maioria dos países, sendo que os mais desenvolvidos acabam enviando aquilo que não reciclam para lugares pobres. No entanto, segundo Federico Magalini, especialista em reciclagem, muitos estão perdendo oportunidades.

Isso porque em uma tonelada de smartphones há 80 vezes mais ouro do que em muitas minas por aí. Ele explicou em uma entrevista ao site The Verge o que devemos fazer para criar hábitos de consumo sustentáveis e como funciona a cadeia de reciclagem de lixo eletrônico. Ele acredita que as pessoas devem ter mais consciência de seu papel no mundo e ajudar se livrando de dispositivos antigos para que a “mineração urbana” ocorra. Magalini explica esse termo com base na quantidade de ouro disponível em aparelhos que ficam guardados:

se você observar quanto ouro você tem em um único telefone celular, obviamente não é muito. Mas em uma tonelada de telefones celulares, geralmente há cerca de 350 gramas de ouro. Isso é 80 vezes maior do que a concentração que você tem em algumas minas de ouro. É por isso que chamamos isso de “mineração urbana”.

Ele também destaca que a maioria dos materiais presentes em um aparelho podem ser reciclados. O ferro, cobre, alumínio e os plásticos podem encontrar nova vida na indústria, sendo que os mais valiosos como cobre, prata, ouro, paládio e lítio podem servir como base para novos aparelhos eletrônicos. Por último, quando questionado se ainda é um bom negócio consertar aparelhos eletrônicosem busca de mantê-los vivos por mais algum tempo, Magalini afirma:

Do ponto de vista ambiental, é sempre bom manter os produtos vivos por mais tempo porque isso significa que novos recursos naturais não precisam ser extraídos. Mas, tendo dito isso, desde que você descarte corretamente seu telefone antigo e o material seja mantido no circuito, não é tão ruim assim.

Ele afirma que a cadeia de reciclagem já é muito tecnológica e gera uma boa quantidade de empregos no mundo. No entanto, isso precisa ser ampliado para que todos os produtos eletrônicos sejam descartados de maneira adequada e novos recursos não precisem ser extraídos da natureza.

Fonte: Tudo Celular