CBA apresenta vantagens do alumínio no setor automotivo

O mundo moderno exige veículos leves, sustentáveis e resistentes. Um dos materiais que garantem essas características é o alumínio, que vem ganhando espaço no setor automotivo justamente por atender a estas, e outras demandas do mercado. O segmento automotivo está se adaptando para ampliar a utilização de materiais mais leves, como o alumínio e o setor de reparos constitui uma parte relevante destas adaptações.

Pensando nisso, a CBA (Companhia Brasileira de Alumínio) participou, em meados de maio, de um evento organizado pelo CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária), da Mapfre, que teve como tema “Os impactos da tecnologia automotiva para a reparação”. O evento, que teve como público principal especialistas em reparação, contou com palestras e debates entre especialistas e profissionais do setor automotivo sobre temas como a reparação adequada de veículos, benefícios do uso do alumínio, adesivos automotivos e o mercado de oficinas.

O consultor de desenvolvimento de mercado e inovação da CBA, Heber Pires Otomar, apresentou uma palestra sobre a evolução do alumínio no setor automobilístico, em conjunto com o coordenador técnico do CESVI, Alessandro Rubio. “A CBA trabalha para ampliar a utilização do alumínio no mercado automotivo. Por isso, é importante conscientizar os usuários sobre os avanços dos materiais que estão presentes nos veículos que vão reparar”, diz Pires.

O alumínio leva vantagem na fabricação de componentes de veículos modernos como o Cross Car Beam, utilizado para a montagem dos componentes do painel, do console central, do volante e do airbag. Além de diminuir o volume de ruídos e vibração, garante um elevado nível de segurança aos passageiros, em caso de colisão lateral. Isso tudo com apenas 60% do peso de uma peça produzida com outros materiais.

Além disso, o alumínio é versátil e pode ser moldado em diversas formas, o que reduz os gastos no processo de produção das peças. As barras de proteção laterais e das portas, geralmente produzidas em aço, também podem ser feitas de alumínio extrudado com um peso 40% menor. A CBA já oferece, no Brasil, a oportunidade de co-criação de peças, de acordo com a necessidade específica de cada cliente.

Para Alessandro Rubio, coordenador técnico do CESVI/Mapfre, a redução de peso proporcionada pelo alumínio, e outros materiais avançados, é essencial para o futuro do automóvel. “Estão cada vez mais presentes nos carros, seja por questões estruturais, seja por redução no consumo de combustível e até para a segurança dos ocupantes. Por isso, é fundamental que todo reparador tenha o conhecimento necessário para fazer o conserto da maneira correta”.

Fonte: JE online