Anglo American anuncia limpeza de mineroduto em Santo Antônio do Grama

A Anglo American vai começar o processo de limpeza interna do mineroduto em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata, após os incidentes que ocorreram nos dias 12 e 29 de março e resultaram no lançamento de 947 toneladas de minério de ferro em cursos de água. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (11), após autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Juízo de Rio Casca (MG). As atividades no local estão paralisadas desde o dia 29 de março.

A passagem de água pelos dutos, que está prevista para começar na semana que vem, vai retirar cerca de 70 toneladas da polpa de minério retido com a parada emergencial e é considerada a etapa inicial do processo de inspeção detalhada que será realizada com a utilização de equipamentos que percorrerão a parte interna da tubulação para o levantamento completo de diversos aspectos que compõem os tubos.

Essa inspeção vai fornecer os parâmetros de segurança operacional para a volta das atividades da empresa.

O processo será feito na seção 2 do mineroduto, que vai de Santo Antônio do Grama (MG) a São João da Barra (RJ). Além do monitoramento eletrônico em tempo real, equipes da empresa vão vasculhar 33 quilômetros do mineroduto. A seção 1 do duto, de Conceição do Mato Dentro a Santo Antônio do Grama também passará pelo processo de limpeza com água.

Estudos preliminares indicaram que os vazamentos ocorridos no mineroduto da Anglo American, em Santo Antônio do Grama (MG), nos dias 12 e 29 de março, foram provocados por trincas na solda longitudinal do tubo. A informação de que seria um defeito de fabricação do tubo foi divulgada pela própria empresa.

Diante disso, a empresa decidiu paralisar as operações do mineroduto, que leva minério de ferro de Conceição do Mato de Dentro (MG) ao Porto do Açu, em São João da Barra (RJ). As atividades ficarão suspensas até que seja feita uma inspeção minuciosa em todos os 529 quilômetros do duto, por uma empresa independente.

O primeiro vazamento ocorreu em 12 de março e resultou na liberação de 300 toneladas de polpa do minério em um dos córregos da zona rural de Santo Antônio da Grama. A operação do duto ficou suspensa até o dia 27 de março.

Dois dias depois, houve um novo vazamento, a 240 metros de distância primeiro, que durou de cinco a oito minutos, resultando no derramamento de 170 toneladas de polpa.

Fonte: Hoje em Dia