Cobre sobe em Londres e NY, ainda sustentado por dados chineses

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova York, ainda beneficiados por recentes dados de manufatura da China, à medida que operadores europeus retomam os negócios nesta terça-feira, após o fim de semana estendido de Páscoa.Por volta das 7h40 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 1,1%, a US$ 6.814,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em maio tinha alta mais moderada, de 0,28%, a US$ 3,0585 por libra-peso, às 8h20 (de Brasília). Dados oficiais da atividade manufatureira chinesa, divulgados no fim da semana passada, surpreenderam positivamente, contrariando expectativas de desaceleração da segunda maior economia do mundo. A China é o maior consumidor mundial de cobre e de outros metais básicos.

O avanço do cobre em Londres hoje vem também após uma semana mais curta, que foi marcada pelo fim do primeiro trimestre. Na última semana, os preços dos metais atingiram os menores níveis desde o início de dezembro, em reação a um aumento nos estoques de armazéns certificados pela LME para o maior patamar desde 2013.

Entre outros metais na LME, os ganhos eram generalizados: o alumínio subia 1,17% no horário indicado acima, a US$ 2.028,50 por tonelada, enquanto o zinco avançava 0,5%, a US$ 3.287,00 por tonelada, o estanho aumentava 0,90%, a US$ 21.340,00 por tonelada, o níquel tinha alta de 1,68%, a US$ 13.615,00 por tonelada, e o chumbo registrava ganho de 0,69%, a US$ 2.413,50 por tonelada.

Fonte: Dow Jones Newswires