Cobre opera em baixa em Londres e NY com dólar valorizado

Os futuros de cobre operam em baixa em Londres e Nova York nesta manhã, à medida que o dólar mantém viés de alta e após o retorno das operações dos mercados chineses com o fim do feriado do ano-novo lunar.

Por volta das 8h10 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 1,08%, a US$ 7.058,50 por tonelada. Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em março recuava 1,23%, a US$ 3,1765 por libra-peso, às 9h07 (de Brasília).  O índice DXY do dólar opera em leve alta nos negócios da manhã, fator que torna o cobre mais caro para investidores que utilizam outras moedas.

O dólar, que vem acumulando valorização há alguns dias, também é sustentado pela ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). No documento referente ao encontro de janeiro, divulgado ontem, o Fed demonstrou confiança na economia americana e de que a inflação irá ganhar força, o que foi visto por alguns analistas como sinal de que o BC americano pode acelerar o ritmo da alta de seus juros básicos.

Já os mercados da China – maior consumidor mundial de metais básicos – voltaram a operar hoje, após ficarem inativos por uma semana em razão da comemoração do ano-novo do país. Contrariando a tendência vista em outras partes da Ásia, as ações chinesa subiram com vigor nesta quinta-feira. Entre outros metais básicos na LME, as perdas eram generalizadas: o zinco caía 1,65% no horário citado acima, a US$ 3.476,50 por tonelada, enquanto o alumínio cedia 1,25%, a US$ 2.180,00 por tonelada, o estanho perdia 0,37%, a US$ 21.525,00 por tonelada, o níquel diminuía 1,85%, a US$ 13.525,00 por tonelada, e o chumbo recuava 1,27%, a US$ 2.529,50 por tonelada.

Fonte: Dow Jones Newswires