Índia envia sonda à Lua em busca de água

Achou que a moda, agora, era ir a Marte? Achou errado. Embora o planeta cor de ferrugem seja um alvo cobiçado pelos líderes da exploração espacial – a Nasa e a Agência Espacial Europeia –, a Lua ainda é a menina dos olhos de países em desenvolvimento, que não tem verba para apostar mais longe.

A Índia marcou para março o lançamento da missão não-tripulada Chandrayaan-2 – que enviará um rover (em bom português, um jipinho de controle remoto muito chique) para explorar o polo sul da Lua. Ele será lançado em um foguete de fabricação própria chamado GSLV – que já colocou satélites artificiais em órbita mais de dez vezes com sucesso, mas nunca foi usado em expedições mais ambiciosas. A missão custará 91 milhões dólares.

Não é a primeira vez da Índia no único satélite natural da Terra. Em 2008, a missão Chandrayaan-1, que também visitou o polo sul, recolheu evidências bastante convincentes de que há água no astro. Chandrayaan-1 durou pouco: perdeu contato com a Terra após 300 dias, bem abaixo dos dois anos de vida útil planejados. Mas, de acordo com a Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO), cumpriu 95% de seus objetivos.

Fonte: Super Interessante