Quinto maior diamante do mundo é encontrado no Lesoto

Pense em uma xícara de açúcar — aquela que serve de medida para fazer um bolo. Cabem 180 gramas ali. Não é muito, certo? Mas quando se trata de um diamante, já representa bastante coisa. E foi justamente isso que a mineradora britânica, Gem Diamonds, anunciou ter descoberto em Letseng, no extremo norte de Lesoto.

No comunicado oficial, a empresa afirma acreditar ser o diamante o quinto maior do mundo já encontrado. “Desde que a Gem Diamonds adquiriu a mina de Letseng em 2006, a mina produziu alguns dos mais impressionantes diamantes do mundo, incluindo o ‘Lesoto Promise’, com 603 quilates”, afirmou o CEO da companhia, Clifford Elphick.

“Entretanto, com essa excepcional qualidade é o maior já minerado até hoje… Essa descoberta é um marco”, completou, se referindo à pedra de 910 quilates. Como cada um pesa 0,2 gramas, chega-se ao equivalente à xícara de açúcar. O maior do mundo, chamado Cullinan, foi encontrado com 3.106 quilates, servindo hoje para ornamentar as coroas da realeza britânica.

Mas não é só isso que implica seu valor. A metodologia para avaliar um diamante é chamada de 4C, que em inglês se refere à cor, clareza, corte e os quilates. Nos dois primeiros itens, a pedra também surpreende, pois foi classificado na categoria D, o que quer dizer transparência e pureza extremas.

Em comparação com diamantes recentemente vendidos, depois de ser lapidado, deve valer mais de R$ 137 milhões. Vale lembrar que isso é em um país extremamente pobre. Cercado de África do Sul por todos os lados, o pequeno Lesoto tem pouco menos de 2 milhões de habitantes, sendo que 40% vive abaixo da linha da pobreza.

Fonte: Revista Galileu