Protesto termina com pessoa morta a tiros na África do Sul

 Royal Bafokeng Platinum (RBPlat) da África do Sul, mineradora sul-africana, disse que uma pessoa foi morta e uma de suas esteiras transportadoras foi queimada durante protestos na noite de quarta-feira (10).

Os protestos contra a empresa aconteceram em um dos poços da produtora de platina em uma província no noroeste do país. Os manifestantes se posicionavam contra a a demissão de 14 trabalhadores ainda em dezembro de 2017. Eles foram dispensados após uma greve realizada devido a problemas de infraestrutura em uma cidade próxima.

Ao menos 100 pessoas tentaram entrar na propriedade da empresa, segundo o site Miningmx. Uma guarita e uma cancela foram danificadas pelos protestantes.

“Um indivíduo foi baleado no meio da multidão. Com base em evidências preliminares, incluindo imagens de vídeo, acredita-se que o tiro partiu de manifestantes. O morto não era contratado da RBPlat”, disse a empresa em uma declaração nesta quinta-feira (11). A afirmação de que o tiro partiu dos próprios manifestantes foi feita pela empresa baseada em uma análise de vídeo internal.

Uma investigação foi aberta pela polícia para analisar o caso. A empresa também teria afirmado que os manifestantes tentaram ganhar acesso a uma das entradas da mina, porém, foram contidos com balas de borracha e de tinta pela segurança do local. O incidente ocorreu na noite da quarta-feira e uma porta-voz da companhia disse que as operações continuavam normalmente na mina, apesar de que a situação permanece tensa. Em 2017, segundo o Miningmx, o preço da platina caiu na África do Sul, gerando milhares de demissões na região dos protestos.

Fonte: Sputnik