Caverna no Parque das Mangabeiras foi aberta pelas garras de animal pré-histórico

Quem observa a abrangência da mancha da área urbana de Belo Horizonte pelo relevo montanhoso não imagina que nas poucas áreas verdes da capital mineira existam 26 cavernas catalogadas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Mas, mais impressionante do que isso foi a confirmação, feita há menos de 15 dias, de que uma dessas cavidades não foi esculpida pelo regime das águas, mas sim pelas garras de um animal pré-histórico. A formação, caracterizada como uma paleotoca por um grupo de espeleólogos, biólogos e estudiosos da paleontologia, faz parte de uma das oito cavidades existentes no Parque Municipal das Mangabeiras, na Região Centro-Sul de BH. A descoberta da até agora única paleotoca belo-horizontina, que nem sequer foi ainda descrita oficialmente, pode despertar mais interesse de pesquisadores e ações de conservação para a unidade.

O trabalho de confirmação de que a estrutura foi de fato escavada por um ser vivo integrante da chamada megafauna extinta foi acompanhado pela equipe do Estado de Minas. O material resultante da expedição será avaliado por estudiosos da área durante o 3º Simpósio Mineiro de Carste (relevo geológico caracterizado pela corrosão das rochas), que ocorre hoje e amanhã na Universidade Federal de Minas Gerais.

Fonte: EM