Anglo Gold Ashanti investe no crescimento respónsábel

Com posição de destaque entre as maiores mineradoras de ouro do Brasil, a AngloGold Ashanti completou, em 2017, uma trajetória de 183 anos no país. Em 2016, nas operações no Brasil, a companhia apresentou uma receita líquida de US$ 660,383 milhões, obtendo uma produção de 538 mil onças (aproximadamente 15 toneladas de ouro).

Tal produção ampliou a relevância do Brasil para o volume de produção global da AngloGold Ashanti, passando de 14% em 2015 para 15,3% em 2016. A AngloGold Ashanti Brasil possui três unidades de negócio: duas em Minas Gerais – Córrego do Sítio (Santa Bárbara) e Cuiabá-Lamego (Sabará) – e uma em Goiás, a mineração Serra Grande, localizada na cidade de Crixás.

As operações brasileiras estão entre as mais avançadas do mundo no campo da tecnologia de mineração, pela excelência dos equipamentos e processos utilizados e o desenvolvimento de soluções de engenharia para a atividade de mineração em subsolo. A empresa adota as melhores práticas da mineração mundial e é referência para as unidades da empresa em todo o mundo.

O Brasil é um dos países mais avançados do mundo no campo da tecnologia de mineração, pela excelência dos equipamentos e processos utilizados, e o desenvolvimento de soluções de engenharia para a atividade de mineração em subsolo. E inovação e sustentabilidade são os princípios que permeiam a estratégia de negócios e a atuação da companhia. Essas premissas norteiam desde a adoção de modernos sistemas de extração de minério, produção de ouro e rigorosas práticas de segurança no trabalho às soluções inovadoras para a mitigação de riscos ambientais, visando ao uso eficiente dos recursos naturais.

Sustentabilidade

A gestão ambiental também é um compromisso da AngloGold Ashanti. A empresa investiu mais de R$ 405 mil em reabilitação ambiental em Minas Gerais e em Goiás, além de realizar investimentos significativos em revegetação, com de 16 mil mudas sendo plantadas e doadas aos dois estados. Isso equivale a cerca de 20 hectares revegetados, ou 28 campos de futebol.

A AngloGold Ashanti mantém duas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs): a Mata Samuel de Paula, em Nova Lima, onde fica o Centro de Educação Ambiental (CEA) que recebe mais de 4 mil visitantes por mês; e a AngloGold-Cuiabá, localizada em Sabará. Juntas somam 873 hectares.

E a companhia acaba de acrescentar 500 hectares à já existente área protegida enviando para o IEF (Instituto Estadual de Florestas) o projeto para criação de duas novas reservas em Santa Bárbara, onde fica a operação Córrego do Sítio, com 180 he e 328 he cada.

A RPPN é uma categoria de Unidade de Conservação de caráter perpetuo, particular e criada em área privada, por decisão voluntária do proprietário.

Em dezembro de 2009, a AngloGold Ashanti foi a primeira mineradora a conquistar a certificação da norma ABNT NBR 16001, uma chancela que está em sinergia com a perspectiva da empresa, de contribuir com o desenvolvimento das comunidades localizadas próximas às operações. Anualmente a empresa passa por uma auditoria, com um rígido controle, para recertificação.

Um dos compromissos da AngloGold Ashanti é contribuir para o desenvolvimento e a melhoria da qualidade de vida das comunidades próximas às suas operações. Coerente com essa premissa, são promovidas diversas ações de fomento e promoção ao desenvolvimento local integrado e sustentável, por meio da construção conjunta de projetos, em processos de diálogo e cooperação, que envolvem parcerias com o poder público e instituições da sociedade civil.

Em 2016 foram investidos R$ 1,2 milhão de recursos próprios e R$ 6,8 milhões de recursos incentivados em iniciativas nas áreas de formação para o mercado de trabalho, geração de trabalho e renda, saúde e qualidade ambiental, esporte e cultura. Cerca de 10 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos das cidades nas quais a empresa tem atuação foram beneficiadas.

Negócios alinhados

Com mais de seis mil empregados diretos e indiretos, a AngloGold Ashanti Brasil possui negócios estratégicos para sua operação. Na área de energia, a empresa é proprietária do Complexo Hidrelétrico de Rio de Peixe, em Nova Lima, composto por sete pequenas centrais hidrelétricas e responde pela geração de 37% de toda a energia consumida nas unidades da empresa em Minas Gerais. Isso representa um forte diferencial competitivo e contribui para a preservação ambiental, já que evita a utilização de combustíveis fósseis.

Já na Planta Metalúrgica do Queiroz, também localizada em Nova Lima, a AngloGold Ashanti Brasil transforma um gás produzido no beneficiamento do minério em exemplo de produto ambientalmente correto e rentável. Trata-se do ácido sulfúrico, resultado da oxidação do enxofre contido no minério onde está o ouro, a fim de ampliar a recuperação do metal. O produto é vendido para indústrias químicas, de fertilizantes e celulose.

Sobre a AngloGold Ashanti

Uma das maiores produtoras de ouro do mundo, no Brasil a empresa possui minas e plantas metalúrgicas e de beneficiamento distribuídas nos estados de Minas Gerais e Goiás. Seus negócios englobam 17 operações em 9 países, gerando mais de 60 mil empregos. A AngloGold Ashanti tem sede em Johanesburgo, na África do Sul, e suas ações são negociadas nas bolsas de Johanesburgo, Nova York, Austrália e Gana.

No Brasil, a companhia está presente em Minas Gerais e Goiás. As operações brasileiras respondem por 15,3% da produção global de ouro do grupo e estão entre as mais avançadas do mundo no campo da tecnologia de mineração, pela excelência dos equipamentos e processos utilizados e o desenvolvimento de soluções de engenharia para a atividade de mineração em subsolo.

Fonte: AGA