Vale restaura e entrega ao Estado fazenda histórica que integrará o Parque do Sumidouro

A Vale restaurou e entregou ao Instituto Estadual de Florestas (IEF), na última sexta-feira, 6 de outubro, uma fazenda com arquitetura colonial típica da Minas Gerais do século XIX. A Fazenda Samambaia, como é conhecida, fica no município de Pedro Leopoldo e é constituída por sede, curral, pátio de ordenha calçado e coberto, represa, moinho d´água, pontes e um aqueduto. A área da fazenda tem aproximadamente 500 hectares corresponde a um quarto da área do Parque Estadual do Sumidouro.

A empresa investiu mais de R$ 13 milhões apenas no projeto de restauração do imóvel, que buscou reavivar os aspectos culturais do patrimônio arquitetônico setecentista e estabelecer as melhores opções para preservar a identidade da edificação, incorporando alternativas para o uso atual.

A construção de núcleo quadrangular reflete em sua arquitetura a estética, funções sociais e modo de vida rural típico da região na época. Em sua fundação era utilizada para atividades agropecuárias, mas foi comprada pela empresa Minerações Brasileiras Reunidas (MBR) em 1964, como parte de uma jazida de calcário. A mineradora foi posteriormente adquirida pela Vale.

“Temos uma média anual de 35 mil visitantes no Sumidouro e a fazenda Samambaia virá para ser mais uma atração. Este é um dia histórico para um lugar de tanta história e de tanta pré-história. Queria agradecer à Vale por essa parceria, que já vem de muito tempo”, agradece o gerente do parque, Rogério Tavares Oliveira.

“Pela segunda vez neste ano nos juntamos ao IEF para uma importante entrega à comunidade. Em julho deste ano inauguramos o Centro de Visitantes do Parque Estadual Serra do Rola Moça, que está contribuindo para tornar aquela unidade de conservação ainda mais atrativa para conscientizar sobre a necessidade de preservar o meio ambiente. Este casarão onde estamos, totalmente restaurado com recursos da Vale, terá bom uso pelas autoridades que cotidianamente trabalham em prol do meio ambiente”, explica o diretor de Planejamento e Desenvolvimento de Ferrosos, Lúcio Cavalli.

Fonte: De Fato Online