Cobre recua com tensão entre EUA e Coreia do Norte, mas ouro amplia ganhos

Os futuros de cobre operam em baixa em Londres e Nova York, em meio a preocupações geradas pela troca de ameaças entre EUA e Coreia do Norte dos últimos dias.

 Por volta das 7h25 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,61%, a US$ 6.363,50 por tonelada.

 Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em setembro tinha baixa de 0,38%, a US$ 2,8920 por libra-peso, às 8h01 (de Brasília).

 Embora o embate retórico de Washington e Pyongyang ainda não tenha levado a ações concretas, os investidores tendem a evitar ativos considerados mais arriscados – caso dos metais básicos – em momentos de tensão.

 Por outro lado, o ouro, tido como porto seguro, acumula ganhos pela quarta sessão consecutiva. Também às 8h01 (de Brasília), o ouro para dezembro subia 0,25%, a US$ 1.293,30 por onça-troy.

 Nesta manhã, também estarão no foco os últimos números de inflação ao consumidor dos EUA, que podem ajudar o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) a ajustar sua política monetária nos próximos meses.

 Entre outros metais básicos na LME, as perdas eram generalizadas: o zinco recuava 0,27% no horário indicado acima, a US$ 2.920,00 por tonelada; o alumínio diminuía 0,07%, a US$ 2.033,00 por tonelada; o estanho caía 0,22%, a US$ 20.270,00 por tonelada; o níquel tinha queda de 1,93%, a US$ 10.655,00 por tonelada; e o chumbo mostrava baixa de 0,57%, a US$ 2.350,00 por tonelada.

Fonte: IstoÉ