CBA lança programa de apoio à gestão pública em Alumínio

A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) traz ao município de Alumínio o Programa Apoio à Gestão Pública (AGP), iniciativa idealizada pelo Instituto Votorantim e BNDES, com execução realizada pela GeoBrasilis, consultoria que, entre outras especialidades, executa planejamentos estratégicos e de gestão ambiental.

Desde o início, o AGP desenvolve-se visando apoiar a modernização de administrações públicas e melhorar as infraestruturas municipais. O objetivo é fortalecer os municípios onde as empresas da Votorantim estão presentes, tornando-os mais independentes e protagonistas de seu próprio desenvolvimento. Em Alumínio, o programa apoiará a prefeitura em dois desafios: desenvolvimento do Plano Plurianual e Plano Diretor Participativo, dois pilares do AGP que ocorrem simultaneamente.

O Plano Diretor Participativo consiste em um planejamento urbano e territorial, que tem como finalidade definir o crescimento e o funcionamento da cidade. O Plano Plurianual consiste na orientação orçamentária do município a partir de diretrizes, objetivos e metas para as prioridades de investimentos.

A primeira etapa dos projetos consiste na realização do diagnóstico da situação de Alumínio, a partir da leitura técnica associada à comunidade. A população é convidada a participar das reuniões que acontecerão entre os dias 17 e 20 de julho. Nestes encontros, serão discutidos assuntos de infraestrutura urbana, meio ambiente, desenvolvimento econômico e desenvolvimento social.

Todas as dinâmicas são voltadas à comunidade, uma vez que o diagnóstico será elaborado a partir da visão da população aluminense, ou seja: como o município é visto atualmente, como podem contribuir para o seu desenvolvimento e como desejam que Alumínio esteja em 2027.

Além das reuniões, a comunidade poderá contribuir também através do site dedicado aos projetos,planejandoaluminio.wixsite.com/aluminio, respondendo questões relativas ao futuro da cidade para os próximos 10 anos. O site possui ainda a agenda de encontros e informações essenciais para entender como funciona o AGP.

Uma vez que o Plano Diretor Participativo é criado, torna-se lei municipal, por isso todo o seu processo é acompanhado por representantes da Câmara Municipal.

Já o Plano Plurianual, renovado a cada quatro anos, diz respeito aos recursos do município, a verba que será destinada para cada ação, de acordo com as prioridades da cidade. Isto é, no Plano Diretor Participativo são traçadas as diretrizes para o futuro, a partir dos olhos da comunidade, e no Plano Plurianual, o orçamento dessas atividades.

O projeto, que está presente em mais de 20 municípios, gera, ao longo dos anos, maior eficiência para administrar recursos públicos e mais investimentos em serviços para a população.

“A CBA e seus parceiros acreditam que o AGP auxiliará as empresas e a população de Alumínio a evoluírem com sinergia, contribuindo para a transformação de um ambiente onde todos ganham”, diz Alan Ferreira da Costa, consultor de Comunicação e Responsabilidade Social da CBA.

Sobre a CBA

Fundada em 1955, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) é a mais tradicional e a primeira indústria nacional fabricante de alumínio do País. A Companhia, pertencente ao portfólio de negócios da Votorantim S.A, é também a única da América Latina a atuar com operação totalmente integrada, realizando desde o processamento de bauxita até a produção de alumínio primário (lingotes, tarugos, vergalhões e placas) e de transformados (chapas, bobinas, folhas e perfis).

Com sede localizada na cidade de Alumínio (SP), onde ocupa 700 mil m² de área construída, a CBA também possui três plantas de mineração de bauxita, instaladas nos municípios de Miraí, Itamarati de Minas e Poços de Caldas, em Minas Gerais, além de uma empresa de reciclagem de alumínio, na cidade de Araçariguama (SP). A atuação da CBA está voltada, principalmente, para prover soluções e serviços para a indústria brasileira com foco nos setores de embalagens e transportes; bem como para os mercados de bens de consumo, energia e construção civil através de parceiros estratégicos. Com a reestruturação organizacional realizada em julho de 2016, a gestão das operações do Níquel passou a ser responsabilidade da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA).

Fonte: CBA