Garimpeiros são detidos em córrego do DF, geólogo diz que é difícil ter ouro em Brasília

Três homens foram flagrados na manhã desta terça-feira (13) garimpando no Córrego Riacho Fundo I, na região do Riacho Fundo, no Distrito Federal. De acordo com a Polícia Militar, eles foram presos com material de garimpo e disseram que outro garimpeiro teria encontrado uma pepita de ouro de 2 gramas no local. O garimpo, sem a devida autorização, configura crime ambiental. De acordo com o sargento Arizomar Pereira, responsável pela equipe da Polícia Ambiental que fazia a ronda no local, a ocorrência é inusitada.

“Foi a primeira vez que fizemos um flagrante de prática de garimpo no DF. Foi uma surpresa pra gente também”.

Segundo o sargento, a equipe da PM estava vistoriando as margens do córrego, que deságua no Lago Paranoá, para encontrar despejo de lixo e esgoto. Quando os policiais viram os três homens garimpando, abordaram o grupo que foi levado para a Delegacia do Meio Ambiente. Como eles não chegaram a extrair nenhuma pedra foram liberados após assinar um termo, mas a pena para este crime varia de 6 meses a 1 ano. O sargento disse ainda que a ocorrência seguirá em apuração.

Mas tem ouro no DF?

Perguntado sobre a presença de ouro no DF, o coordenador do Instituto de Geociências da UnB, José Elói Campos, disse ao G1 que o DF tem dois tipos de rochas, de cerca de 1 bilhão de anos que “potencialmente podem conter ouro”. Essas rochas são conhecidas como Filito e Quartzito. No entanto, historicamente a região não teve uma participação forte na corrida do ouro.

“A geologia do DF não é favorável para ocorrência de ouro. Vários processos precisam acontecer ao mesmo tempo para formar ouro. ”

Para a concentração do mineral e formação de uma pepita por exemplo, são necessários diversos processos químicos e físicos, diz o professor.

“Um depósito de ouro é considerado uma anomalia na natureza. Temos quantas minas de ouro no território desse tamanho? Temos algumas minas localizadas, em conjunto de rochas com certa idade, que tem potencial maior. Por isso não é fácil encontrar um depósito mineral. É um dos trabalhos mais nobres do geólogo.”

O especialista disse também que empresas já analisaram regiões do DF, mas não consideraram a região atrativa. Segundo o geoólogo, os córregos são normalmente o primeiro passo para o garimpo.

“Acham nos córregos porque com a erosão as rochas chegam aos rios. Historicamente, no Brasil Colônia, [os garimpeiros] iam nos córregos até achar as rochas primárias”.

Segundo Campos, a pedra que supostamente foi encontrada no Riacho Fundo é pequena e pouco valiosa. “É mínima. Ouro é muito pesado e denso. ”

Fonte: G1