Cobre opera em queda, em meio a dúvidas sobre demanda e oferta

Os contratos futuros de cobre operam em queda na manhã desta segunda-feira, em meio a dúvidas sobre a demanda mundial pelo metal. Na London Metal Exchange (LME), o cobre para três meses caía há pouco 0,61%, aos 5.794,50 por tonelada. Às 8h03 (de Brasília), na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho cedia 0,60%, a US$ 2,6335 por libra-peso.

Depois de subir mais de 2,0% na semana passada, o analista da SP Angel John Meyer explicou que os investidores estão digerindo dados ruins de demanda na China. Maior importador do metal vermelho, o gigante asiático informou que as importações de cobre em maio se desaceleraram em relação aos meses anteriores. O analista de metais da Saxo Bank Ole Hansen lembra ainda que a volta das operações de minas de cobre do Chile, afetadas por problemas climáticos, também pesa sobre os negócios com a commodity. “O cobre ainda está lutando para fazer ganhos ou sair desta faixa de preços cada vez mais apertada que vemos há bastante tempo”, complementou.

Entre os outros metais básicos negociados na LME, a tonelada do alumínio caía 0,76%, a US$ 1.894,00 por tonelada; a do chumbo cedia 0,59%, aos US$ 2.092,00; a do estanho subia 1,30%, a US$ 19.035,00; a do zinco recuava 0,47%, a US$ 2.528,00; e o níquel ganhava 0,22%, a US$ 8.975,00.

Fonte: Dow Jones Newswires