Cobre sobe com redução de estoques em Londres

Os futuros de cobre operam em alta na manhã desta segunda-feira (24), após uma nova redução nos estoques do metal básico em Londres. Por volta das 7h10min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,47%, a US$ 5.664,00 por tonelada. Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio tinha alta de 0,73%, a US$ 2,5560 por libra-peso, às 8h (de Brasília).

Segundo Alastair Munro, da Marex Spectron, os estoques de cobre na LME caíram hoje pela terceira sessão consecutiva, favorecendo a demanda pelo metal. Por outro lado, a Freeport-McMoRan recebeu autorização para exportar 1,1 milhão de toneladas da mina indonésia de Grasberg. Não está, claro, porém se esses embarques serão afetados por uma greve de 9 mil trabalhadores da Grasberg, prevista para começar no início de maio.

O desempenho positivo do cobre nos negócios da manhã pode ter relação também com o resultado do primeiro turno da eleição presidencial francesa, que favorece o apetite por ativos mais arriscados, como commodities e ações. Ontem, o centrista Emmanuel Macron venceu a primeira etapa da corrida presidencial na França, ficando um pouco à frente de Marine Le Pen, candidata da extrema direita temida nos mercados financeiros por defender que o país abandone o euro. Macron e Le Pen disputarão o segundo turno no dia 7 de maio.

Outros metais básicos na LME operavam sem direção única: o alumínio tinha alta marginal de 0,03%, a US$ 1.936,00 por tonelada; o estanho recuava 0,18%, a US$ 19.720,00 por tonelada; o zinco ganhava 0,39%, a US$ 2.596,00 por tonelada; o chumbo exibia valorização de 0,30%, a US$ 2.148,00 por tonelada; e o níquel caía 0,37% a US$ 9.345,00 por tonelada.

Fonte: Jornal do Comércio