Maior diamante de Angola rendeu quase 15 milhões de euros

A pedra de 404 quilates foi o 27.º maior diamante de sempre encontrado a nível mundial. As companhias de diamantes angolana Endiama e australiana Lucapa anunciaram hoje em comunicado a venda de um diamante de 404,2 quilates, o maior de sempre encontrado em Angola, por 16 milhões de dólares.

“A pedra de 404 quilates vendeu-se por 16 milhões de dólares [14,7 milhões de euros ao câmbio de hoje], o que representa um espetacular preço de 39,5 dólares por quilate, um recorde para um diamante branco extraído da mina do Lulo”, lê-se no comunicado hoje colocado no ‘site’ da empresa australiana.

“A venda de um único diamante por 16 milhões de dólares mostra o enorme potencial que a mina do Lulo tem para produzir de forma regular estas gemas que são simultaneamente grandes e de qualidade mundial”, disse o diretor executivo da empresa, Stephen Wetherall, citado no comunicado.

Em fevereiro, já fora noticiado que sete diamantes de grandes dimensões tinham sido descobertos na mina angolana do Lulo, onde foi encontrada também uma pedra com 404,2 quilates, a maior de sempre em Angola e cuja venda contribuirá para as contas do Estado. A informação foi avançada em Luanda pelo Presidente do Conselho de Administração da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), Carlos Sumbula, que considerou a descoberta histórica, por se tratar também do 27.º maior diamante do mundo.

Segundo Carlos Sumbula, foram ainda encontradas na mina do Lulo, na província da Lunda Norte, diamantes com 120,37 a 82,60 quilates, mas também de 56,30 e 33,95 quilates. A menor destas grandes descobertas, neste período, foi de 29,28 quilates.

Carlos Sumbula disse que o Governo angolano leva a cabo desde 2010 uma pesquisa para determinar a origem dos diamantes aluviais existentes no país e que a descoberta deste diamante de 404,2 quilates servirá, através das suas especificações e qualidades, de guião para a identificação do seu kimberlito (filão de rocha que contém diamantes).

“Estamos satisfeitos porque na descoberta dessa pedra já contamos com uma empresa privada angolana”, disse Carlos Sumbula. O projeto Lulo, localizado no município de Capenda Camulemba, ladeado pelos projetos Cacuilo e Capenda, é uma sociedade constituída por uma parceria entre a Endiama (32%), a Rosa e Pétalas (28%) e Lucapa Diamond (40%), empresa australiana que é operadora da mina.

Na altura, Sumbula tinha manifestado a intenção de canalizar a parte da venda que cabe à Endiama diretamente para o Orçamento do Estado, contribuindo assim para equilibrar as finanças públicas dilaceradas pela descida do preço do petróleo e consequente quebras nas receitas fiscais.

Depois do petróleo – cujas receitas caíram para menos de metade em 2015 devido à crise da cotação do barril de crude -, os diamantes são o segundo produto de exportação de Angola.

Fonte: DN