Metais básicos operam em baixa após dados fracos de importação da China

Os futuros de metais básicos operam em baixa após dados fracos de importação da China interromperem a recente recuperação do setor. Em setembro, as importações chinesas tiveram queda anual de 20,4%, bem maior do que o declínio previsto de 16,5%, segundo dados de Pequim. A China é o maior consumidor mundial de metais, respondendo por quase metade da demanda por zinco, por 45% da de cobre e por 40% da de chumbo.

Em meados do ano, os metais atingiram mínimas em vários anos em meio a preocupações com a desaceleração da China, que está sujeita a não cumprir sua meta de crescer 7% em 2015. ”Estamos diante de importações mais fracas do que o esperado na China”, comentou Daniel Ang, analista da Phillip Futures. “Importações menores sugerem que a demanda por commodities ainda está fraca.”

Nos negócios da manhã na Europa, o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) recuava 0,4%, a US$ 5.282,50 por tonelada. Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para dezembro tinha queda de 1,06%, a US$ 2,39 por libra-peso, às 8h41 (de Brasília).

Para a economista-sênior do Julius Baer, Susan Joho, o governo chinês precisa fazer mais para “conter o enfraquecimento da economia”. Os dados também mostraram que as importações chinesas de cobre tiveram alta anual de 18% em setembro, mas analistas atribuíram o resultado ao fato de que os compradores aproveitaram os preços baixos para repor estoques.

“A grande preocupação é o número geral de importações”, disse Helen Lau, analista da Argonaut Securities. “Todo mundo está olhando para isso como um sinal da demanda doméstica.”

Entre outros metais na LME, o alumínio tinha leve baixa de 0,1%, a US$ 1.591,50 por tonelada, enquanto o zinco caía 0,6%, a US$ 1.829,00 por tonelada, o níquel cedia 0,2%, a US$ 10.525,00 por tonelada, e o chumbo recuava 0,6%, a US$ 1.795,50 por tonelada. O pouco negociado estanho se mantinha estável, a US$ 15.905,00 por tonelada. Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte: Yahoo Notícias