Terrativa produzirá potássio a partir de feldspato

A empresa Terrativa, que é parte do grupo Artesia, está introduzindo no Brasil uma nova tecnologia desenvolvida pelo MIT/USA para produção de um fertilizante potássico a partir de minerais de feldspato, denominado Hidrosienito. O propósito da companhia é iniciar a produção no País o mais rápido possível, de acordo com seu diretor, Ingo Wender, que apresentou o projeto para investidores durante o Brazilian Mining Day, evento realizado pela Adimb durante a convenção PDAC. Para sustentar a produção, a Terrativa pretende desenvolver cinco minas localizadas nos estados de Bahia, Pernambuco, Goiás e Mato Grosso.

A expectativa é que o empreendimento possa alcançar uma capacidade de produção de 1,45 milhão de toneladas de KCl, em duas fases: na primeira serão instaladas plantas nas localidades de Ceraíma, Rio Verde e Sinop, cada uma com capacidade para produzir 208 mil t anuais de KCl. Na segunda fase serão instaladas mais quatro plantas, de mesma capacidade. Cada planta custará em torno de US$ 140 milhões.

Uma das grandes vantagens do empreendimento, segundo Ingo Wender, é que as plantas se localizarão muito próximas à região de consumo e seu produto terá grande competitividade em relação ao insumo importado, tanto pela logística quanto por seu baixo custo operacional. Cada tonelada de KCl produzida com a tecnologia terá um custo operacional de 138 dólares, enquanto o produto importado vendido no Cerrado tem preço de 480 dólares. Além disso, tem baixo consumo energético e não gera resíduos.

Fonte: Brasil Mineral