Metais: cobre fecha em alta com dólar; PIB japonês impede ganho maior

As cotações de alguns metais fecharam com alta na London Metal Exchange (LME), puxados pelos ganhos no mercado de cobre, que foi sustentado pela desvalorização do dólar e pela alta nos índices de ações. O desempenho só não foi melhor por conta de fatores negativos, como a queda recorde no produto interno bruto do Japão no primeiro trimestre.

Na rodada de negócios (kerb) da tarde, os contratos de cobre para três meses fecharam com alta de US$ 105, a US$ 4.635 por tonelada; os de níquel subiram US$ 200, a US$ 12.665 por tonelada e os de estanho avançaram US$ 75, a US$ 13.700 por tonelada. Na outra ponta, os contratos de chumbo tiveram queda de US$ 24, a US$ 1.461 por tonelada; os de zinco recuaram US$ 5,5 a US$ 1.517,50 por tonelada e os de alumínio cederam US$ 7, a US$ 1.493 por tonelada.

“Para que os preços dos metais tenham alguma chance de estender seus ganhos no segundo semestre será necessária uma melhora significativa na demanda dos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico”, disse o Barclays Capital em um relatório. A CRU, consultoria britânica especializada em metais, avalia que um aumento maior nos preços dos metais será indício de que a recuperação da economia virá mais cedo que o esperado.

Ao mesmo tempo, a retomada da capacidade de produção por algumas mineradoras pode pressionar as cotações. Na China, a Jiangxi Copper Co., maior fundição de cobre do país, retomará sua capacidade total em junho, de acordo com informações da Rede de Metais Não Ferrosos da China. A produção de zinco e alumínio também deve ser retomada no país.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange, os contratos de cobre para julho fecharam com alta de US$ 0,0370 (1,79%), a US$ 2,1065 por libra-peso. Ralph Preston, analista sênior da Heritage West Financial, disse que com os altistas construindo uma base no importante suporte de US$ 2,02, o contrato julho deve continuar sustentado com a ajuda de fatores como dólar e petróleo, ambos favoráveis hoje. Ele disse que o contrato pode chegar a US$ 2,25 por libra-peso nos próximos dias.