Metais operam em direções divergentes; cobre recua 1,87% na Comex

Os metais básicos negociados na London Metal Exchange (LME) operavam em direções divergentes nesta sexta-feira, influenciados pelo avanço do dólar e ganhos nos mercados de ações. Os estoques de cobre na LME tiveram redução de quase 13.000 toneladas nesta sexta-feira para o nível mais baixo desde o início do ano.

Já na Shanghai Futures Exchange, os estoques de cobre aumentaram 7.699 toneladas. Os metais podem ficar de lado enquanto aguardam a divulgação de dados sobre a economia norte-americana nesta sexta-feira, incluindo índice de preços ao consumidor e produção industrial. Às 6h26 (de Brasília), o cobre para três meses era negociado a US$ 4.417,50 por tonelada na LME, queda de US$ 27,50 ante o fechamento de ontem. O alumínio recuava US$ 5,75 a US$ 1.525,25 por tonelada, e o níquel perdia US$ 75,00 a US$ 12.425,00 por tonelada.

Já o zinco tinha valorização de US$ 6,00 a US$ 1.505,00 por tonelada, e o chumbo subia US$ 14,00 a US$ 1.446,00 por tonelada. O estanho ganhava US$ 50,00 por tonelada a US$ 13.650,00 por tonelada. Na Comex eletrônica (divisão de metais da Nymex – New York Mercantile Exchange), às 7h53 (de Brasília), o contrato do cobre para julho recuava 1,87% para US$ 1,9890 por libra peso.

“A demanda chinesa para o curto prazo está diminuindo”, disse um analista de Londres, acrescentando que os prêmios no mercado físico de cobre na China recuaram de US$ 200 por tonelada para US$ 150 por tonelada. Segundo ele, compradores estão aguardando preços mais baixos na LME, o que pode fazer com que o metal opere em um intervalo estreito no curto prazo. “Compradores chineses querem o cobre abaixo de US$ 4.000,00 por tonelada.”

O cobre pode operar entre US$ 4.300,00 e US$ 4.800,00 por tonelada no curto prazo, de acordo com ele. Segundo o analista David Wilson, do Société Générale, há preocupações crescentes no mercado de que a demanda chinesa por metais já possa ter sido satisfeita por enquanto. “Há temores de que a China já tenha uma abundância de metais”, afirmou.