Metais sobem com compras de arbitragem; cobre avança 1,63% na Comex

Os metais básicos negociados na London Metal Exchange (LME) registravam, em sua maioria, alta nesta quarta-feira sustentados por compras de arbitragem entre a LME e a Shanghai Futures Exchange, e ganhos nos mercados de ações da Europa. Às 6h30 (de Brasília), o cobre para três meses era negociado a US$ 4.635,00 por tonelada na LME, alta de US$ 115,00 ante o fechamento de ontem.

O zinco avançava US$ 12,50, a US$ 1.539,50 por tonelada, e o níquel ganhava US$ 100,00, a US$ 12.100,00 por tonelada. O chumbo tinha valorização de US$ 31,00, a US$ 1.436,00 por tonelada, e o estanho subia US$ 700,00, a US$ 13.200,00 por tonelada. Já o alumínio caía US$ 7,00 por tonelada, a US$ 1.536,00 por tonelada. Na Comex eletrônica (divisão de metais da Nymex – New York Mercantile Exchange), às 7h58 (de Brasília), o contrato do cobre para julho avançava 1,63%, para US$ 2,1165 por libra-peso.

Segundo o analista Leon Westgate, do Standard Bank, o mercado pode se enfraquecer nos meses de verão (no Hemisfério Norte), quando a demanda é tradicionalmente menor. Por outro lado, preocupações com a inflação e expectativas de que a economia norte-americana possa retomar o crescimento mais para o fim do ano podem fazer com que fundos entrem nos mercados de commodities, o que impulsionaria os preços dos metais, segundo Westgate. Além disso, compras estratégicas de metais pela China e a lenta recuperação na demanda industrial e por parte de consumidores devem continuar dando força aos metais, de acordo com o Fairfax IS.

Os estoques de cobre na LME atingiram cerca de 548.400 no mês de fevereiro, mas desde então recuaram 27%, para 402.150 toneladas, e o consumo do metal em países em desenvolvimento pode crescer devido a pacotes de estímulo econômico. “Mas, em termos de fundamentos, ainda precisamos ver uma melhora na economia real”, disse Westgate. As informações são da Dow Jones.