Metais caem com preocupações com economia; chumbo lidera perdas

Os metais básicos negociados na London Metal Exchange (LME) registravam, em sua maioria, baixa nesta sexta-feira, pressionados por preocupações com a economia mundial, com o chumbo liderando as perdas devido a um grande aumento de seus estoques na LME.

Às 7h50 (de Brasília), o cobre para três meses era negociado a US$ 4.330,00 por tonelada na LME, queda de 0,3% ante o fechamento de ontem. Segundo o analista Michael Jansen, do JPMorgan, o cobre pode operar abaixo de US$ 4.000,00 por tonelada, em linha com a renovação das preocupações com a economia global.

No entanto, o aumento do interesse de investidores vem dando algum suporte ao metal. O chumbo recuava 2,9%, a US$ 1.408,00 por tonelada, e o zinco perdia 1,1%, a US$ 1.401,00 por tonelada. O níquel tinha desvalorização de 2,1%, a US$ 11.060,00 por tonelada, e o estanho caía 0,2%, a US$ 12.375,00 por tonelada.

Já o alumínio ganhava 0,2%, a US$ 1.450,00 por tonelada. Na Comex eletrônica (divisão de metais da Nymex – New York Mercantile Exchange), às 8h44 (de Brasília), contrariando a direção da LME, o contrato do cobre para julho avançava 0,50%, para US$ 2,0010 por libra-peso.

Os estoques de cobre na LME caíram 10.925 toneladas, mas os cancelamentos de garantias (que indicam que metais comprados sairão em breve dos estoques) estão diminuindo nos últimos dias. Os estoques de chumbo aumentaram 8.075 toneladas nesta sexta-feira e devem aumentar mais nas próximas semanas, segundo a analista Gayle Berry, do Barclays Capital.

Geralmente, os preços do chumbo mostram fraqueza no segundo trimestre, e o Barclays estima, que dentro de  um mês, o metal atinja o nível de US$ 1.250,00 por tonelada, e chegue a US$ 1.000,00 por tonelada ao longo do trimestre.