ArcelorMittal nega emissão de ações, mas não descarta no futuro

A ArcelorMittal, maior siderúrgica do mundo, negou que queira levantar financiamento novo e que tenha contratado algum banco para ajudá-la nesse processo. “A ArcelorMittal não precisa levantar capital adicional agora, já que possui um programa de redução de dívida bem sucedido”, disse um porta-voz da companhia à Dow Jones. As ações da siderúrgica despencaram nos últimos dias por causa de especulações de que a empresa planeja fazer uma emissão de 5 bilhões de euros (US$ 6,5 bilhões) em ações com direito preferencial de subscrição para melhorar seu balanço patrimonial. Em reportagem, o Financial Times informou que há rumores de que o JPMorgan e o Deutsche Bank haviam sido contatados para coordenar a transação, que possibilitaria aos acionistas atuais comprar uma ação para cada duas que possuem pelo valor de 8 euros, um desconto de 44% em comparação com o preço de fechamento de ontem. A companhia, contudo, não descartou uma ação futura nesse sentido. “Como uma empresa responsável e de olho no futuro, nós vamos, claro, revisar e analisar todas as opções que possam ajudar a garantir o futuro de nossos negócios durante este período econômico desafiador”, disse o porta-voz, sem dar detalhes. As ações da companhia eram negociadas na bolsa de Amsterdã em queda de 4,73%, a 13,69 euros, às 10h20 (de Brasília).