Minmetals comprará mineradora australiana OZ por US$ 1,7 bi

A trader estatal de metais chinesa China Minmetals Nonferrous Metals Company, ou Minmetals, concordou em comprar a australiana OZ Minerals por 2,6 bilhões de dólares australianos (US$ 1,7 bilhão). Os diretores da OZ foram unânimes ao recomendar a transação, por meio da qual o grupo chinês ficará com toda a dívida de 1,1 bilhão de dólares australianos da companhia. A OZ vinha estudando a venda de ativos e outras opções de refinanciamento, mas seu executivo-chefe, Andrew Michelmore, disse que a compra pela Minmetals é uma saída melhor. “A oferta da Minmetals representa a melhor opção para nossos acionistas e empregados”, disse ele a jornalistas. A Minmetals está oferecendo 82,5 cents de dólar australiano por ação, o que representa um prêmio de 50% sobre o último negócio realizado. As transações com papéis do grupo foram suspensas em 28 de novembro, por causa de negociações sobre a dívida. A proposta, no entanto, é muito inferior aos 12 bilhões de dólares australianos que a Oxiana e a Zinifex valiam juntas quando se fundiram em julho do ano passado, formando a OZ. Um acionista desta empresa disse que a oferta parece subestimar a companhia, mas, tendo em vista a perspectiva fraca para as commodities e a dívida elevada da OZ, a maior parte dos acionistas ficará contente em embolsar o que puderem. A transação precisa de aprovação do governo australiano, que já tem de analisar o acordo de US$ 19,5 bilhões da Rio Tinto com a também chinesa Chinalco. Embora os ativos da OZ sejam muito menos importantes que os da Rio, o governo terá de enfrentar o fato de que, se rejeitar a transação, a companhia poderá quebrar, resultando em perdas de empregos. Ainda assim, o acordo da Minmetals com a OZ representa uma aquisição completa de uma mineradora australiana importante pela China, que é um dos principais destinos das exportações australianas.

Muitos na Austrália temem que a China esteja aproveitando o momento de baixa do ciclo para comprar ativos baratos no país e depois usá-los para derrubar os preços dos metais. O vice-presidente da Minmetals, Mark Liu, disse a jornalistas que, embora a empresa seja estatal, ela segue princípios de mercado e que o grupo não pretende fechar nenhuma mina da OZ.