Siderúrgicas dos EUA pedem ao Congresso manutenção do “Buy America”

Os congressistas norte-americanos deveriam trabalhar para manter, no texto do pacote de estímulo econômico de cerca de US$ 800 bilhões, a ênfase na proposta “Buy America”, segundo pedido feito numa carta que várias associações de siderúrgicas norte-americanas enviaram à comissão do Congresso encarregada de analisar o plano. “Um pacote de recuperação econômica com fortes cláusulas ‘Compre a América’ para projetos de investimento em infraestrutura fortalecerá a infraestrutura do nosso país, devolverá o emprego de milhões de trabalhadores americanos e ajudará a revitalizar o setor industrial doméstico – em total cumprimento com nossos acordos de comércio internacional”, segundo a carta, assinada pelo Instituto Americano do Minério de Ferro e do Aço e por outras três associações representativas da indústria siderúrgica. O documento foi remetido à liderança do Congresso e aos membros da comissão encarregada de conciliar as versões do pacote aprovadas na Câmara dos Representantes e no Senado. A carta lembra que a cláusula “Compre a América” já faz parte da legislação desde 1982 e exige apenas que projetos de transporte financiados pelo governo federal utilizem minério de ferro dos EUA e aço fabricado por trabalhadores dos EUA, desde que haja disponibilidade desses insumos. As entidades dizem que essa exigência nunca resultou em guerra comercial. “Permitir que as matérias-primas sejam fornecidas de fora dos EUA frustrará o efeito econômico multiplicador que está na base de qualquer forma de estímulo monetário”, acrescentaram as associações na carta.